Notícias

Bahia e OSID oficializam parceria em benefício da instituição do Anjo Bom do Brasil

Bahia e OSID oficializam parceria em benefício da instituição do Anjo Bom do Brasil

“A solidariedade mais uma vez entrou em campo; novamente vestiu azul, vermelho e branco e continua a nos surpreender ao confirmar que no futebol o grito de gol nem sempre precisa estar associado à bola na rede. E continuam sendo muitos os gols marcados em benefício dos pobres e doentes de Irmã Dulce. Hoje mesmo, neste abençoado 29 de outubro de 2015, temos a impressão de que já começamos o dia com um placar elástico tamanho os gritos de gol que ouvimos ecoando pelas salas, corredores, consultórios e enfermarias desta sagrada Casa”. Assim, em mensagem escrita pela família do Anjo Bom do Brasil, as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) acolheram na manhã de ontem (29) os anjos do Esporte Clube Bahia, durante a festiva solenidade que consagrou a parceria do time e de seus torcedores em benefício da instituição fundada pela religiosa baiana (confira abaixo, na íntegra, a mensagem da OSID ao clube e sua torcida).

Dentre as ações previstas com o objetivo de ajudar a entidade e propagar o legado de amor e serviço aos pobres e doentes, o clube repassará às Obras Sociais 1% dos valores de seus patrocínios e 1% da arrecadação do programa Sócio Esquadrão. Também incentivará as contribuições ao programa Sócio-Protetor, uma das principais fontes de doação à instituição – mais informações sobre o programa podem ser obtidas a partir do endereço www.irmadulce.org.br/socioprotetor. Para completar, à semelhança do convênio entre Barcelona e Unicef, o Bahia estampará a logomarca da OSID em seus diversos canais de divulgação e também na camisa de jogo da equipe profissional, já começando pela partida contra o Botafogo, neste sábado (31), no Rio de Janeiro, pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

“É uma grande satisfação e um grande orgulho firmar essa parceria com a OSID. Primeiro enquanto baiano, pela dimensão do trabalho social de Irmã Dulce, e, agora, enquanto presidente do Bahia, por poder transferir um pouco da energia e do apoio que a gente tem para um trabalho tão amplo. Através da visibilidade do clube, vamos mobilizar para que mais pessoas participem e ajudem as Obras”, disse o presidente do Bahia, Marcelo Sant'Ana, durante a cerimônia de assinatura do termo de parceria, realizada no Memorial Irmã Dulce (Largo de Roma).

“Recebemos com bastante alegria a notícia dessa parceria. Chega em boa hora, quando nós estamos precisando de muita ajuda, principalmente o Centro Educacional Santo Antônio (CESA), onde estudam 700 crianças e adolescentes em tempo integral. Esse acolhimento do Bahia é muito importante, primeiro por ser uma iniciativa concreta, em que veremos o resultado mês a mês, e também porque isso vai servir de estímulo para que outros times em todo o Brasil sigam o exemplo. O futebol nos traz alegria, emoção, mas o social está aí, precisando de ajuda”, declarou a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes.

O time baiano já havia promovido, recentemente, uma ação em prol da entidade filantrópica, quando arrecadou, junto à torcida, quase uma tonelada de alimentos para o CESA, núcleo de educação das Obras, durante um treino aberto ao público, realizado no dia 2 de outubro, no estádio de Pituaçu. “É um ato de extrema importância ajudar uma obra como a de Irmã Dulce, que é um símbolo da Bahia, do povo baiano”, comentou Lenine, volante do time tricolor, presente ao evento juntamente com o atacante Roger e o goleiro Guido.

“Quando a gente fala de Irmã Dulce logo remete a cuidar do outro, a amor ao próximo. Então são duas marcas importantes do estado da Bahia que vão se associar para melhorar a qualidade de vida das pessoas que precisam dessa assistência. O governo se irmana a essa ação e parabeniza as duas entidades”, salientou o chefe de Gabinete do governador Rui Costa, Cícero Monteiro, que representou o governador durante a solenidade.

A cerimônia de assinatura do acordo – parceria viabilizada também graças à atuação da empresa Marca Cultural – reuniu ainda gestores, líderes, profissionais, religiosos e estudantes das Obras Sociais Irmã Dulce, além de diversos membros do time baiano. Também estiveram presentes ao evento a presidente da Fundação Cidade Mãe, Risalva Telles, e o sócio-diretor da Damicos Consultoria, Fábio Rocha. “Nunca imaginei me emocionar com o Esporte Clube Bahia fora dos campos. Nunca imaginei comemorar títulos fora dos estádios. Mas hoje estou feliz por ter dado uma pequena parcela de contribuição na maior parceria de responsabilidade social da história do Bahia e do futebol brasileiro. Parabéns a toda a diretoria executiva do Bahia e às Obras Sociais Irmã Dulce por mais uma estrela, a estrela social, no manto tricolor”, declarou Fábio Rocha, que é também conselheiro do clube.

Homenagem – A solenidade contou ainda com uma homenagem das Obras Sociais Irmã Dulce e do Bahia a Antônio Pedreira Pithon, arquiteto e ex-presidente do clube, além de grande amigo e parceiro da OSID, que faleceu no último dia 21, aos 74 anos. Uma placa dedicada a Pithon – que teve uma trajetória de muitos anos no tricolor, ocupando cargos como diretor social, diretor de patrimônio, diretor de marketing e conselheiro grande benemérito do clube – foi entregue aos seus filhos Rogério, Alessandro e Thomaz. “Meu pai sempre teve muito carinho e admiração por Irmã Dulce e por Maria Rita, e herdamos isso dele desde sempre. Os nossos laços são laços de família, de amizade, de carinho e de respeito. Agradecemos às Obras Sociais, ao Bahia, e podem contar com a gente para o que pudermos contribuir”, disse emocionado Rogério.

 

Aos anjos tricolores

A solidariedade mais uma vez entrou em campo; novamente vestiu azul, vermelho e branco e continua a nos surpreender ao confirmar que no futebol o grito de gol nem sempre precisa estar associado à bola na rede. E continuam sendo muitos os gols marcados em benefício dos pobres e doentes de Irmã Dulce. Hoje mesmo, neste abençoado 29 de outubro de 2015, temos a impressão de que já começamos o dia com um placar elástico tamanho os gritos de gol que ouvimos ecoando pelas salas, corredores, consultórios e enfermarias desta sagrada Casa. Aliás, se não estamos enganados, o placar informa que na partida iniciada na manhã de hoje já estamos ganhando de 700 a 0. Isso mesmo, 700 gols marcados! Setecentos gols que se traduzem em 700 sorrisos; em 700 gestos de gratidão; em 700 famílias que continuarão a ver seus filhos a vestir uma farda, a mergulhar em livros e, alimentados e com saúde, a praticar um esporte, tocar um instrumento musical ou encenar uma peça de teatro. Enfim, 700 crianças e adolescentes do Centro Educacional Santo Antônio, o CESA, em Simões Filho, que continuarão a dizer orgulhosos: “Pai, mãe, hoje eu estou feliz, porque hoje eu vou à escola”.

Mas tantos gols marcados não seriam possíveis sem jogadores em campo; sem um time que trouxesse no peito, mais do que a cobertura de um uniforme, o escudo universal do amor, do serviço e da misericórdia. E justamente em honra a esses anjos, que atendem por nomes e gritos de guerra tão marcantes em nossas memórias, que nós, a Família Irmã Dulce, estamos hoje aqui, reunidos em plena arquibancada, para assistir emocionados nossos irmãos em campo. Para agradecer a uma equipe composta não somente por 11 jogadores, mas por uma torcida fiel e generosa, que junto com seu time do coração correu em socorro aos filhos e filhas de Dulce; que não hesitou, diante da aflição do próximo, em atender ao chamado dos menos favorecidos; e que, mais do que a doação de um alimento, nos deu conforto e esperança ao dizer “não temam, pois estamos aqui”.

Obrigado Nação Tricolor! Obrigado Esporte Clube Bahia! Obrigado por permitirem que a missão do Amar e Servir de Irmã Dulce não conheça o significado do apito final, mas que, antes de tudo, se perpetue ao longo das gerações. Que os gols hoje marcados se convertam, ao longo dos próximos anos, em milhões de outros gols, e que continuemos a ouvir – de nossas crianças, jovens e idosos, enfim, da legião de homens e mulheres que diariamente desembarcam nessa casa em busca de atendimento e acolhida – a doce e cativante melodia de quem teve a vida transformada pelo amor.

 

Família OSID