Notícias

Visitação ao Memorial Irmã Dulce cresce 24%

Visitação ao Memorial Irmã Dulce cresce 24%

O museu que abriga a exposição permanente sobre a vida e a obra de Irmã Dulce teve 24,3% a mais de visitantes entre janeiro e março de 2013, em comparação com os três primeiros meses do ano passado. A recente inclusão em rotas de cruzeiros marítimos e a participação em eventos que promovem o turismo religioso foram determinantes para o expressivo acréscimo da audiência no Memorial Irmã Dulce, que recebeu 26,8 mil visitantes no 1º trimestre, contra os 20,3 mil no mesmo período de 2012. Em franca expansão de visibilidade, o MID participa do II Salão Baiano de Turismo e da III Feira de Turismo da Abav/BA, entre 10 e 14 de abril, no Centro de Convenções da Bahia.

“No Salão, onde vamos expor relíquias e disponibilizar material informativo e brindes, ocuparemos um balcão destinado pela Bahiatursa às organizações católicas. Já na Feira, em que também faremos a venda de souvenires, teremos um estande próprio com 9m2 cedido pela Abav/BA - Associação Brasileira das Agências de Viagem na Bahia”, explica o coordenador da participação do MID nos eventos, João Paulo Cerqueira. A perspectiva é de aproveitar ao máximo o potencial desses eventos para consolidar o MID enquanto destino de ponta na rota do turismo religioso nacional.

Somente no mês de janeiro, 13 mil turistas visitaram o núcleo das Obras Sociais Irmã Dulce responsável pela preservação e difusão da imagem de sua fundadora. Nada menos que 71% deles vieram de outros estados. Considerando os dados de 2012, São Paulo lidera a lista de frequência dos turistas brasileiros em visitação ao MID, com 22% do total. Pernambuco, com 17%, Rio de Janeiro, com 14%, e Ceará, com 6%, vem em seguida. A expectativa, para este ano, é de ultrapassar a marca das 85 mil visitas registradas em 2012.

Estrangeiros - Considerando os dados de novembro de 2012 a março de 2013, temporada dos cruzeiros marítimos pela costa brasileira, o Memorial recebeu 1,6 mil visitantes estrangeiros. Apenas em dezembro de 2012, em dois finais de semana, a quantidade de alemães, ingleses, franceses, italianos, austríacos, turcos – chegou a 810. “Este número nos surpreendeu e revelou o quanto é importante estarmos preparados também para esse perfil de turista. Até então, nunca houve uma demanda assim”, destaca Osvaldo Gouveia, assessor de Memória e Cultura da OSID.

MID - Uma exposição permanente sobre o legado de amor e caridade do ‘Anjo Bom’. Assim é o Memorial Irmã Dulce, inaugurado em 1993, um ano após a morte da freira, e situado num prédio anexo ao Convento Santo Antônio, na sede da OSID. O hábito usado por ela, fotografias, documentos e objetos pessoais podem ser vistos no MID, que ainda preserva, intacto, o quarto de Irmã Dulce, onde está a cadeira na qual ela dormiu por mais de trinta anos em virtude de uma promessa. Outros fatos marcantes de sua vida são lembrados através de maquetes, livros, diplomas e medalhas.

Entre as peças do acervo, está a imagem de Santo Antônio, do século XVIII, pertencente à família da religiosa, diante a qual ela costumava rezar. Nas Obras Sociais, ela costumava apresentar o santo aos visitantes como o "tesoureiro da casa". A visita ao Memorial se estende à Capela das Relíquias, no Santuário da Bem-aventurada Dulce dos Pobres, onde, desde junho de 2010, se encontra o túmulo que guarda suas relíquias. Parte integrante do Memorial, o núcleo de Memória da OSID reúne hoje um acervo de mais de nove mil peças, ajudando a preservar e manter vivos os ideais de Irmã Dulce.

Com entrada franca, o MID está aberto de terça a sábado, no horário das 10h às 17h, e aos domingos, das 10h às 15h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (71) 3110-1166 ou pelo site www.irmadulce.org.com.br