Notícias

Projeto do Centro de Oncologia será apresentado à presidenta Dilma

Projeto do Centro de Oncologia será apresentado à presidenta Dilma

O projeto da nova Unidade de Radioterapia e Quimioterapia das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) foi apresentado nesta quarta-feira (27) ao secretário de Atenção à Saúde do governo federal, Helvécio Magalhães, pela superintendente da instituição, Maria Rita Pontes. No encontro, ocorrido no Ministério da Saúde, ficou acertado ainda que o documento será entregue agora à presidenta Dilma Rousseff, pelas mãos do secretário e do ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O Centro de Oncologia terá 1.600 m2 de área construída e irá abrigar 10 consultórios, 18 leitos e equipamentos para o tratamento do câncer, incluindo o acelerador linear, fruto de convênio já assinado com o Ministério da Saúde. A previsão de início das obras é setembro, com inauguração prevista para junho de 2014. No último dia 21, o projeto já tinha chegado às mãos do governador Jaques Wagner e do secretário estadual da Saúde, Jorge Solla.

O prédio será erguido em um espaço pertencente ao Serviço Social da Indústria (Sesi/ Fieb), atualmente ocupado por um campo de futebol, mas que será doado pelo estado. O governador Jaques Wagner já assinou o decreto que declara de interesse público a área de 9.430 m2, localizada à Av. Luiz Tarquínio, no bairro de Roma, ao lado da OSID. A instituição aguarda ansiosa pela entrega oficial do terreno, sob a pena de perder os recursos destinados pelo Ministério para a aquisição do acelerador linear (convênio nº 778082/ 2012).

Atualmente, a lei que dispõe sobre o primeiro tratamento de pacientes com câncer (nº 12.732/ 2012), sancionada em 22 de novembro do ano passado, prevê que “o paciente com neoplasia maligna tem direito de se submeter ao primeiro tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS), no prazo de até 60 (sessenta) dias contados a partir do dia em que for firmado o diagnóstico em laudo patológico ou em prazo menor, conforme a necessidade terapêutica do caso registrada em prontuário único” (Art. 2º).

“É preciso que a doação do terreno seja concretizada para que possamos dar início à construção da unidade e ampliar o número de pacientes acolhidos pela oncologia, diminuindo a espera para o início do tratamento e dando o atendimento completo, com a incorporação da radioterapia”, comentou Maria Rita Pontes.

Sonho antigo

O campo do Sesi é um sonho antigo. Há mais de dez anos que a OSID negocia sua cessão junto à Fieb, ao Sesi e ao governo do estado, visando a ampliação dos serviços oferecidos à população. Foram inúmeras reuniões e audiências realizadas entre agosto de 2002 e julho de 2011, sempre com boas intenções e disposição de todos os envolvidos, mas sem o devido avanço prático. O assunto voltou à tona em novembro do ano passado, quando ao participar da inauguração de uma sala de cirurgia na instituição, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, garantiu a aquisição de um acelerador linear para o futuro serviço de radioterapia das Obras. O governo do estado, por sua vez, assumiu a construção do centro. Mas faltava o local para instalação da unidade.

No dia 13 de novembro, médicos, profissionais, voluntários, moradores, alunos e pacientes da OSID marcharam do Santuário da Bem-aventurada em direção ao terreno, que foi ocupado. Plantaram medalhinhas de Irmã Dulce e deixaram uma imagem do ‘Anjo Bom’ no centro do campo de futebol. Em 20 de novembro, uma missa campal marcou a primeira semana da ocupação do espaço. Presidida pelo capelão da OSID, Frei Beto, a celebração teve como inspiração da palavra a esperança por uma solução imediata para o impasse. Onze dias depois (1º de dezembro), o ministro Alexandre Padilha voltou à OSID, esteve no campo e ressaltou o apoio do Governo Federal à implantação da unidade de radioterapia a partir da doação do terreno, reafirmando o convênio para a aquisição do equipamento. No dia 04 de janeiro, em solenidade no gabinete da Governadoria, o governador Jaques Wagner assinou o decreto que declarou o campo de futebol do Sesi como área de interesse público, tendo em vista sua doação às Obras Sociais Irmã Dulce.