Notícias

Obras Sociais Irmã Dulce assumem gestão de centro de convivência para moradores de rua

Obras Sociais Irmã Dulce assumem gestão  de centro de convivência para moradores de rua

As Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) vão assumir a gestão do Ponto de Encontro, centro de convivência para moradores de rua e usuários de substâncias psicoativas, situado no Centro Histórico de Salvador. Inaugurada em agosto de 2012, a unidade foi concebida pelo Centro de Estudos e Terapia do Abuso de Drogas (Cetad/Ufba) em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) e as Voluntárias Sociais da Bahia. O núcleo tem foco no resgate da cidadania através da oferta de cursos profissionalizantes, oficinas, palestras, atividades educacionais e culturais, além de cuidados com a saúde. A assinatura do contrato de gestão acontece no dia 3 de julho (quarta-feira), às 10h, na sede da unidade (Ladeira do Boqueirão, Rua Direta do Santo Antônio, 55), em solenidade que contará com as presenças do secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, da superintendente da OSID, Maria Rita Pontes e da presidente das Voluntárias Sociais, a primeira-dama Fátima Mendonça.

“As Obras Sociais Irmã Dulce foram convidadas pela Sesab para gerir o centro de convivência não só pela credibilidade da instituição como também pela experiência que temos com dependentes de álcool e outras drogas no Centro de Acolhimento e Tratamento de Alcoolistas, um dos núcleos da OSID”, destaca o gestor operacional das Obras Irmã Dulce, Sérgio Lopes.

As pessoas atendidas pelo centro de convivência realizam atividades diárias na unidade, que funciona todos os dias, sempre das 8h às 17h. “O núcleo tanto atua nas comunidades, tentando resgatar os moradores de rua, como atende a demanda espontânea”, explica a coordenadora do Ponto de Encontro, Maria Del Carmen Moleiro. “Os pacientes acolhidos pelo Ponto de Encontro, em sua maioria portadores de diversas enfermidades, sem ocupação formal e sem referência familiar, são exatamente aqueles que mais precisam da atuação das Obras e representam a razão primordial do trabalho desenvolvido por Irmã Dulce e sua missão de ‘amar e servir’, que nos foi legada”, observa Maria Rita Pontes.

Desde que foi implantado, o Ponto de Encontro vem registrando de 1 mil a 1,2 mil atendimentos por mês. A equipe de profissionais é formada por assistente social, psicólogo, enfermeiro, músico, artista plástico, cientista social, pedagogo e educador físico, que atuam como educadores sociais e agentes de redução de danos.