Notícias

UPA Roma é a primeira do país a implantar moderno sistema de informatização

UPA Roma é a primeira do país a implantar moderno sistema de informatização

Pouco mais de um mês após ter sido habilitado oficialmente pelo Ministério da Saúde como Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o Hospital São Jorge – administrado pelas Obras Sociais Irmã Dulce - se tornou a primeira UPA do Brasil a implantar o E-SUS, sistema de informatização da gestão hospitalar que permite um amplo acompanhamento das atividades desenvolvidas no núcleo, incluindo os processos de cuidado com o usuário e os trâmites administrativos. Os benefícios abrangem profissionais e pacientes, com melhorias como maior agilidade no atendimento e maior qualidade dos serviços prestados.

O software possui módulos que avaliam desde a recepção do paciente até o faturamento das contas médicas da unidade, passando pelo prontuário eletrônico, carga horária e frequência de profissionais, controle de almoxarifado e dispensação de medicamentos. “Pelo sistema, os médicos podem acompanhar o paciente na emergência com informações precisas sobre consultas, diagnósticos e exames anteriores, por exemplo, proporcionando dessa forma um atendimento com informações mais seguras, maior rapidez e eficiência”, destaca o líder da UPA Roma, Luís Moura.

Habilitação - A Portaria nº 370, de 8 de março de 2013, que habilita o Hospital São Jorge como Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h), vai representar melhorias no atendimento diário de mais de 450 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que passam pelo núcleo. “Com a publicação da portaria será possível direcionar ações para o aperfeiçoamento dos serviços prestados”, afirma Luís Moura, que considera fundamentais as mudanças na estrutura física da unidade, cujas obras já foram iniciadas. A “sala vermelha”, espaço destinado à reanimação de pacientes, por exemplo, terá sua capacidade ampliada de dois para quatro leitos. Além disso, sua sala de medicação será readequada a partir da instalação de novos leitos. A previsão é de que todas essas melhorias sejam incorporadas à UPA Roma até fevereiro de 2014.

De acordo com Luís Moura, embora o Hospital São Jorge não tenha sido construído originalmente com o perfil de Unidade de Pronto Atendimento, o formato vem se configurando nos últimos anos, devido às características dos atendimentos que realiza. O líder do HSJ explica que lá os pacientes urgentes são atendidos, estabilizados e os casos mais graves encaminhados para internação em outras unidades hospitalares. “Nossa UPA foi auditada e habilitada pelo Ministério da Saúde, sendo hoje considerada de nível três pelo fluxo de procedimentos e volume de pacientes. Ou seja, atingiu o grau mais alto na avaliação das UPAs”.