Notícias

Primeira-dama visita Obras Sociais Irmã Dulce

Primeira-dama visita Obras Sociais Irmã Dulce

A primeira-dama da Bahia, Fátima Mendonça, visitará as Obras Sociais Irmã Dulce (Largo de Roma) nesta quarta-feira (13/03), às 10h. Na ocasião, a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes, vai apresentar à primeira-dama o projeto da Unidade de Radioterapia e Quimioterapia da instituição, centro de saúde que ainda depende da doação de um campo de futebol para ser construído. Fátima Mendonça – que também estará presente na missa em memória de Irmã Dulce, às 9h, no Santuário da Bem-aventurada Dulce dos Pobres – aproveitará para conhecer algumas unidades da OSID, a exemplo das enfermarias do Hospital Santo Antônio, e as necessidades de ampliação dos serviços hoje oferecidos pela entidade. No final do encontro, Fátima receberá uma homenagem das Obras.

Campo dos sonhos – No início de janeiro deste ano o campo de futebol do Sesi (localizado na Av. Luiz Tarquínio, ao lado da OSID) passou a ser uma área de utilidade pública. O decreto de declaração de interesse público foi assinado pelo governador Jaques Wagner. A intenção é permitir que a área de 9.430m² seja cedida, sob concessão de direito real de uso, para a expansão dos serviços assistenciais oferecidos pela instituição à população. De lá pra cá, o projeto da nova Unidade de Radioterapia e Quimioterapia das Obras Sociais Irmã Dulce já chegou às mãos do governador Jaques Wagner e do secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, foi apresentado ao secretário de Atenção à Saúde do governo federal, Helvécio Magalhães e encaminhado à presidenta Dilma Rousseff. A instituição agora aguarda ansiosa pela entrega oficial do terreno, sob a pena de perder os recursos para a compra de equipamentos e construção das futuras instalações da unidade de saúde.

Projeto - O Centro de Oncologia terá 1.600 m2 de área construída e irá abrigar 10 consultórios, 18 leitos e equipamentos para o tratamento do câncer, incluindo o acelerador linear, fruto de convênio já assinado com o Ministério da Saúde. “É preciso que a doação do terreno seja concretizada para que possamos dar início à construção da unidade e ampliar o número de pacientes acolhidos pela oncologia, diminuindo a espera para o início do tratamento e dando o atendimento completo, com a incorporação da radioterapia”, comentou a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes.