Notícias

Instalação de escultura de Irmã Dulce abre homenagens em memória dos 25 anos de seu falecimento

Instalação de escultura de Irmã Dulce abre homenagens  em memória dos 25 anos de seu falecimento

A família Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), assim como fiéis, devotos e demais admiradores da vida e obra do Anjo Bom do Brasil ganharão um presente nesta sexta-feira (dia 6) com a instalação de uma escultura de Irmã Dulce no alto da sede de sua instituição, no Largo de Roma. Com 4 metros de altura e pesando meia tonelada, a imagem será descerrada em cerimônia nesta sexta, às 18h, no estacionamento Abaeté 1, localizado em frente ao Memorial Irmã Dulce – abrindo oficialmente o calendário de homenagens de 2017 em memória dos 25 anos de falecimento da freira baiana. Instalada em um dos pontos mais altos da Cidade Baixa, a escultura poderá ser vista de bairros como a Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo e durante a travessia Ilha de Itaparica-Salvador.

Segundo o capelão da OSID, frei Mário Erky, a instalação da escultura sobre a instituição fundada pela Mãe dos Pobres, e em pleno dia em que a Igreja Católica celebra a Festa de Reis, guarda um significado bastante especial: “A Festa de Reis está associada à estrela que guiou os Reis Magos e ter a imagem de Irmã Dulce sobre a sua Obra significa que ela está abençoando e velando os seus filhos. Em qualquer direção que olharmos, vamos sentir ainda mais forte a sua presença. É um presente para todos nós”.

Criada pelo artista plástico Zaca Oliveira, a peça foi produzida em 2012 para um presépio da Arquidiocese de Salvador montado no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Após a desmontagem do presépio, a imagem foi então doada às Obras Sociais Irmã Dulce. Em 2013, ela foi colocada em um antigo campo de futebol, localizado ao lado da sede da OSID, traduzindo na época o desejo da instituição para que o terreno abrigasse uma futura unidade para tratamento do câncer, tornando-se assim um símbolo da campanha – sonho esse que foi concretizado em 2015, com a inauguração da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) Nossa Senhora de Fátima. Admirador da vida e obra da freira, Zaca recebeu com entusiasmo a notícia da colocação da imagem no alto da casa do Anjo. “Era um sonho antigo ver esta escultura na casa onde ela acolheu e encheu de luz a vida de tantas pessoas”, declarou.

Produzida em fibra e com materiais de modelagem, como carpete, madeira e arame, a peça recebeu um reforço em sua estrutura para suportar a ação do tempo. “Para ficar mais resistente, ela ganhou peças de metal e um enchimento com fibra e espuma”, explica o gestor de Infraestrutura da OSID e idealizador da iniciativa de instalação da imagem, o engenheiro Jorge Eduardo. Responsável pela operação para colocação da escultura, o líder da Engenharia Clínica das Obras Sociais, João Salomão, revela outros atrativos que acompanharão a peça: “Irmã Dulce estará segurando uma lamparina e vai ganhar uma iluminação cênica moderna, como se estivesse emanando luz e proteção para todos”.

Turismo religioso – Para o assessor de Memória e Cultura das Obras Sociais, Osvaldo Gouveia, a escultura chega também como mais uma atração para a região da Península Itapagipana, já conhecida pela beleza e quantidade de monumentos históricos e religiosos. “A instalação da imagem de Irmã Dulce no alto de sua obra tem um significado muito grande e isto vai atrair ainda mais turistas para a Cidade Baixa”, destacou.

Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, situado no bairro de Roma. A religiosa fundou uma das mais importantes instituições sociais do país, entidade que abriga hoje um dos maiores complexos de saúde 100% SUS do Brasil, com cerca de 4,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano a idosos, pessoas com deficiência e com deformidades craniofaciais, pacientes sociais, pessoas em situação de rua, usuários de substâncias psicoativas e crianças e adolescentes em situação de risco social. Irmã Dulce foi beatificada em 2011, recebendo na ocasião o título de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. Atualmente, a freira baiana está em processo de canonização. Para que seja declarada santa, é necessária a comprovação de mais um milagre atribuído à intercessão da beata.