Notícias

Obras Sociais Irmã Dulce recebem visita da empresária Luiza Trajano

Obras Sociais Irmã Dulce recebem  visita da empresária Luiza Trajano

As Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) receberam na tarde de quarta-feira (dia 8) a visita da presidente da rede de lojas de varejo Magazine Luiza, Luiza Trajano. De passagem por Salvador para participar do lançamento do núcleo baiano do Grupo Mulheres do Brasil (GMB) - formado por lideranças femininas que tem como objetivo promover ações que estimulem a participação e o protagonismo da mulher em diversas áreas, a empresária fez questão de conhecer o trabalho realizado na instituição da Mãe dos Pobres, a quem descreveu como “exemplo de fé e ação”. Na ocasião, Luiza foi recepcionada pela superintendente das Obras Sociais, Maria Rita Pontes, pelas conselheiras da OSID, Rosemma Maluf e Joana Arcoverde, e profissionais da entidade.

Antes mesmo de começar a percorrer as unidades da OSID, Luiza ganhou uma recepção especial na Casa de Dulce: a apresentação das canções “Amigo, que bom que você veio” e “Anjo Azul dos Alagados” feita por profissionais e religiosos das Obras e tendo à frente o reitor do Santuário da Bem-Aventurada, frei Giovanni Messias, no momento em que passavam pelo Pátio das Ambulâncias. Entre abraços e sorrisos, o grupo se encantou com o caloroso acolhimento. Momento também de ternura no encontro com Anderson José Farias, paciente em tratamento na instituição. Em um cativante bate-papo, Luiza descobriu o interesse do jovem pelo mundo da tecnologia. Anderson, inclusive, confessou sua admiração pela Lu, personagem virtual da rede Magazine Luiza. Em um gesto de generosidade, a empresária resolveu presentear Anderson com um notebook. “O notebook será muito importante para mim. Vai me ajudar nas atividades da escola e a interagir nas redes sociais”, disse animado.

Acompanhada por integrantes do GMB, Luiza Trajano conheceu o Hospital da Criança, o Santuário da Bem-Aventurada e o Memorial Irmã Dulce, onde se emocionou ao saber mais sobre a trajetória de amor, fé e determinação da freira baiana. A visita foi encerrada com uma oração junto ao túmulo do Anjo Bom, na Capela das Relíquias. “Estou muito emocionada e muito agradecida por ter vindo aqui. Já sabia sobre Irmã Dulce e sua obra, mas ao entrar aqui, apesar dos seus 26 anos de falecimento, senti ela viva em cada pessoa, em cada cantinho, em cada um que nos recebe. É algo muito forte. É como se Irmã Dulce estivesse habitando em cada um dos doentes que aqui está. Então realmente quem faz não morre, permanece vivo. É uma bênção pisar nessa Obra e o que eu puder fazer para ajudar, será um prazer”, declarou.