Notícias

Obras Sociais Irmã Dulce celebram 60 anos de amor e serviço

Obras Sociais Irmã Dulce celebram 60 anos de amor e serviço

Antes mesmo do badalar dos sinos na Avenida Dendezeiros do Bonfim, o Santuário da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres já reunia uma multidão de devotos e admiradores da vida e do legado do Anjo Bom da Bahia. A missa dominical deste histórico 26 de maio foi para dar graças pelos 60 anos das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), fundada pela freira baiana que se tornará a primeira santa nascida no Brasil, conforme decreto promulgado no dia 14 pelo Papa Francisco, reconhecendo o segundo milagre atribuído à intercessão da Mãe dos Pobres. Presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, D. Murilo Krieger, a celebração foi marcada por homenagens e gestos de devoção.

Com alegria e gratidão, o público presente saudou a religiosa baiana, que também faz aniversário em 26 de maio (ela faria 105 anos), no mesmo dia de fundação de suas Obras Sociais. Em sua homilia, D. Murilo Krieger afirmou que, assim como os santos e santas da Igreja Católica, Irmã Dulce também deixou-se conduzir pelo Espírito Santo: “Ela acreditou na palavra de Jesus que afirma estar presente no mais pequenino, no mais pobre. E não só viu Jesus nos mais necessitados, como confiou na divina providência”, disse, aludindo à firmeza da freira diante dos desafios para fundar e manter a OSID.

Frei Giovanni Messias, reitor do Santuário da Bem-Aventurada, citou o reconhecimento da fraternidade pura do Anjo Bom, ao ler a carta da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), enviada a D. Murilo em virtude da proximidade da canonização de Irmã Dulce. A nota diz que ela “nos ensinou a consolar os que sofrem”, numa época em que se observa o franco crescimento da “globalização da indiferença”, como nos alerta o Papa Francisco.

A missa dos 60 Anos da OSID foi marcada por muitas homenagens. A superintendente da instituição, Maria Rita Pontes, lembrou que a obra fundada pela freira entra na “melhor idade” com a ajuda de todos que abraçaram com ela sua missão de acolher os mais necessitados, e fez um reconhecimento ao Centro de Geriatria e Gerontologia, núcleo que cuida dos idosos de Irmã Dulce e que há 30 anos  criou seu primeiro programa de Residência em Geriatria.

A unidade de geriatria foi uma das homenageadas também durante o Ofertório, que destacou os núcleos da instituição que comemoram décadas de serviços à comunidade, como o Centro Educacional Santo Antônio, completando 55 anos; o Centro de Acolhimento e Tratamento de Alcoolistas (25 anos); e o Núcleo de Reabilitação Auditiva Dr. Orozimbo Alves Costa Filho (seis anos). A Rede Amigas de Dulce, que há dois anos se empenha em campanhas para ajudar as Obras, também recebeu o carinho e as orações dos fiéis.

O médico Airton Fauth, que atualmente é preceptor da Residência de Clínica Médica do Hospital Santo Antônio, recebeu uma placa em reconhecimento aos seus serviços junto à OSID. Professor assistente da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, ele tem larga experiência na área médica, com ênfase em Reumatologia e Medicina Interna, construindo ao longo de sua trajetória uma sólida relação com pacientes, estudantes e colegas de profissão, sempre baseada na colaboração e nos princípios éticos.

A celebração foi encerrada com uma apresentação da cantora Nairzinha junto à Orquestra Irmã Dulce, formada por estudantes do Centro Educacional Santo Antônio – CESA, que integram o projeto Neojiba (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), e com a entronização da Relíquia e da imagem da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. 

A missa festiva pelo 60º aniversário da instituição reconhecida como uma das maiores obras filantrópicas do país reuniu funcionários, pacientes, religiosas da Congregação de Irmã Dulce, doadores, profissionais médicos, conselheiros, moradores e voluntários das Obras Sociais, e também o primeiro postulador da causa da Canonização de Irmã Dulce, Paolo Lombardo, além do atual postulador, Paolo Vilotta. Familiares de Irmã Dulce, como sua irmã, Ana Maria, e seus sobrinhos Marco Vinícius e Marta, se uniram à superintendente da OSID, Maria Rita Pontes, sobrinha da religiosa, para agradecer por seis décadas de amor e serviço. Na celebração também estavam presentes amigos e parceiros da OSID, como o ex-governador Jaques Wagner e a ex-primeira dama, Fátima Mendonça; a poeta Mabel Veloso; as Amigas de Dulce e sua coordenadora, Rosemma Maluf; Joaci Goés, consultor educacional da OSID; Jorge Khoury, superintendente do Sebrae-Ba; vereador Joceval Rodrigues; deputado federal João Roma; e Guilherme Bellintani, presidente do Esporte Clube Bahia. Presença também dos rotarianos: Eduardo Barbosa, vice-presidente do Rotary Club da Bahia; Edmundo Lima, atual presidente da entidade; Henrique Trindade, ex-governador do Rotary Club (Distrito 4550); e Anaci Paim, governadora do distrito 4550 do Rotary Internacional.

Sala de cirurgia - A OSID completou 60 anos inaugurando sua 11ª sala de cirurgia, que permitirá à instituição ampliar a oferta de cirurgias de alta complexidade, principalmente na área oncológica, possibilitando mais agilidade no tratamento de pacientes com câncer e ajudando a reduzir a fila de espera por procedimentos cirúrgicos nas Obras Sociais, que atualmente contabiliza cerca de 10 mil pacientes. A nova sala demandou recursos da ordem de R$ 936 mil, para reforma e aquisição de equipamentos, obtidos graças à mobilização do Rotary Internacional e Rotary Club da Bahia a partir de campanhas e doações.

A cerimônia de inauguração, realizada também no domingo (26), às 8h, reuniu a família osidiana para, junto aos rotarianos, comemorar os frutos da parceria, recebendo as bênçãos de frei Mário Erky, capelão da OSID. “Que este projeto sirva de luz, de inspiração para outros se concretizarem nas Obras Sociais Irmã Dulce que ajudam milhares de pessoas”, disse Eduardo Barbosa, vice-presidente do Rotary Club da Bahia e coordenador do serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Santo Antônio. Edmundo Lima, atual presidente da entidade, lembrou que a nova sala é um projeto com “o DNA, a alma, o espírito de Irmã Dulce, porque foi feito com o gesto de doação – tijolo por tijolo, bloco por bloco. E assim o Rotary pôde dar vida à palavra de Irmã Dulce, quando afirmou: ‘Foi o nosso povo, com a sua fé, sob inspiração de Deus, que construiu toda essa obra’”.

Expressando a alegria dos rotarianos em contribuir com as Obras de Irmã Dulce, o ex-governador do Rotary Club (Distrito 4550), Henrique Trindade, disse que o gesto reflete a missão da entidade, pois “o Rotary é servir”. Anaci Paim, governadora do distrito 4550 do Rotary Internacional, lembrou que a OSID é uma instituição de “referência internacional” e destacou a destinação da nova sala, desejando que todos que por ela passem recebam “as bênçãos de Irmã Dulce e que possam ter uma vida melhor e uma saúde melhor”. O gesto dos rotarianos teve o reconhecimento de Maria Rita Pontes, que, falando em nome da OSID agradeceu a “parceria de longas datas”, que se empenhou em envolver os companheiros de todos os continentes no projeto de uma sala que vai beneficiar tantas pessoas. 

A parceria OSID-Rotary deve continuar através de novos projetos e a nova empreitada já foi anunciada: a aquisição de equipamentos destinados às cirurgias nasal e otológicas com vídeo. Assim, o nobre gesto do doar será novamente estimulado entre os queridos parceiros e anjos rotarianos.