Notícias

Hospital Sagrada Família começa a receber os primeiros pacientes

Hospital Sagrada Família começa a receber os primeiros pacientes

 

Sob a gestão das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), foi inaugurada nesta terça-feira (26), no Hospital Sagrada Família, uma nova estrutura de atendimento em saúde voltada ao enfrentamento do novo Coronavírus. A solenidade de inauguração contou com as presenças do prefeito ACM Neto; do vice-prefeito Bruno Reis; do secretário municipal da Saúde, Leo Prates; e da superintendente das Obras Sociais, Maria Rita Pontes, além de profissionais e religiosos da instituição fundada por Santa Dulce dos Pobres. Destaque também para um momento de oração e bênção do novo espaço, com o capelão da OSID, frei Mário Erky.

 

Ressaltando o início da operação no hospital, em pleno dia em que Irmã Dulce estaria completando 106 anos de nascimento, ACM Neto disse que a santa baiana, que realizou um verdadeiro milagre ao fundar o Hospital Santo Antônio, vai continuar a “operar milagres” no Sagrada Família: “Sinto que Santa Dulce está aqui a nos abençoar e tocar no coração de cada profissional que vai trabalhar nesta unidade. E com o exemplo dela, nós vamos conseguir salvar muitas e muitas vidas neste hospital que tem a marca dela e será gerido pela sua organização social. Peço que ela nos dê força e condições para enfrentar todas as dificuldades que ainda temos pela frente, nesse que é um momento crítico da pandemia em nossa capital”. A superintendente da OSID, Maria Rita, também se pronunciou dizendo que “nós estamos aqui para servir, nessa missão que eu considero das mais desafiadoras. É um inimigo invisível; é uma guerra que estamos vivendo no nosso tempo. Esperamos contar com a força de Irmã Dulce e seguir salvando vidas”.

 

Com 544 profissionais, a unidade hospitalar já começou a receber hoje os primeiros pacientes com Covid-19, encaminhados através da Central Municipal de Regulação. O Sagrada Família vai funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana. A estrutura inaugurada já começa com 38 leitos, sendo cinco em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 33 de enfermaria clínica. Até o próximo dia 8 de junho, o hospital contará com o funcionamento de 75 leitos (20 de UTI e 55 de enfermaria). Esta capacidade poderá ser ampliada numa segunda etapa, de acordo com a necessidade de acolhimento de novos pacientes, com a abertura de mais 36 leitos, 20 deles de UTI e 16 de enfermaria.