Notícias

Secult e Saltur destacam potencial turístico do Memorial Irmã Dulce

Secult e Saltur destacam potencial turístico do Memorial Irmã Dulce

As visitas do Secretário de Cultura e Turismo (Secult), Érico Mendonça, e do presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, às Obras Sociais Irmã Dulce – OSID, durante a Semana Santa, reforçaram a expectativa de que se estabeleçam novas parcerias para materializar o projeto de Requalificação do Memorial Irmã Dulce - MID, que vai estruturar a instituição para atender, de forma mais adequada, à crescente demanda do turismo religioso. A ideia é que o novo MID e o Santuário da Bem-Aventurada possam se integrar à área no entorno do Largo de Roma, que compreende a Praça Irmã Dulce, e que já vem sofrendo intervenções da prefeitura e Governo do Estado com vistas ao segmento religioso do turismo.

Para a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes, é importante que surjam parcerias para “ajudar a tornar realidade todo esse sonho de integração da praça e de revitalização do Memorial”. O potencial turístico do complexo é inegável, na opinião de Ivan Leão, que integra o corpo de conselheiros das Obras, um entusiasta da causa e um de seus maiores incentivadores: “O turismo religioso de Salvador já é este percurso entre o Santuário e a Praça de Irmã Dulce e a Igreja do Bonfim. Então, há uma importância nessa integração. É preciso fazer a nossa adequação. A ideia é que isso aqui seja um corredor turístico de Salvador”, explica.

O assessor de Memória e Cultura das Obras, Osvaldo Gouveia, considera que a participação da instituição no fortalecimento do turismo religioso da capital baiana já é uma realidade atestada pelo significativo número de turistas que vêm visitando o MID e o Santuário. Em 2014, houve uma visitação recorde, ultrapassando a marca de 100 mil pessoas, volume 24,3% maior que o de 2013 (cerca de 81.300 pessoas), com uma média mensal de mais de 8 mil visitantes procedentes de Salvador,  interior da Bahia, de vários estados brasileiros e do exterior.

Requalificação - O objetivo da Assessoria de Memória e Cultura da OSID é modernizar seu equipamento para dar um atendimento mais adequado a este fluxo turístico. De acordo com Gouveia, o Projeto de Requalificação do Memorial Irmã Dulce visa à atualização da expografia do museu, criado em 1993 com o propósito de preservar e difundir a história de Irmã Dulce. “Já temos certificação da Lei Rouanet. Então, é importante buscar parcerias, porque Irmã Dulce é um patrimônio da Bahia e de Salvador”.

É exatamente este o entendimento do presidente da Saltur, Isaac Edington. Após visitar o memorial e o Santuário da Bem-Aventurada, ele disse conhecer bem o legado da beata e reforçou o propósito de “contribuir para eternizar o trabalho e a mensagem de Irmã Dulce”: “Qualquer cidadão soteropolitano tem o orgulho de poder fazer com que esta obra se perpetue, pela grande importância que tem: é um patrimônio imaterial da nossa terra”.  Já o secretário da Secult, Érico Mendonça, que visitou o Memorial Irmã Dulce pela primeira vez,  disse estar impressionado com seu potencial de representação da memória do Anjo Bom: “Na medida que possamos ampliar esta experiência da visita, isso vai representar muito mais, não só para a memória de Irmã Dulce como também para expandir seu espírito de caridade”.

O Projeto de Requalificação do Memorial Irmã Dulce prevê não só intervenções na estrutura do prédio, uma construção de 1947, onde ainda hoje está abrigado o Convento Santo Antônio, moradia de Irmã Dulce até o seu último momento de vida. Está prevista, por exemplo, a renovação de todo sistema elétrico do prédio, bem como de sua utilização racional, visando à sustentabilidade. Além disso, o novo MID quer se estruturar para promover ampla acessibilidade a diferentes perfis de públicos, incluindo os visitantes estrangeiros, idosos e pessoas com deficiência. O projeto objetiva ainda reforçar seu caráter didático-pedagógico e a atualização de sua exposição: a ideia é que o acervo que hoje conta com mais de 30 mil peças, entre objetos pessoais que pertenceram à freira baiana, além de obras de arte, fotografias, documentos e  ex-votos (expressões votivas dadas pelos devotos), possa ser apresentado por meio de equipamentos museográficos modernos, a fim de promover mais interação com os visitantes. Todo esta riqueza está em exibição no MID, de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada franca.