Notícias

Unidade de Oncologia da OSID recebe acelerador linear

Unidade de Oncologia da OSID recebe acelerador linear

Por muito tempo, o 9 de março vai ser lembrado como o dia em que mais um sonho se tornou realidade nas Obras Sociais Irmã Dulce – OSID. Ainda que a história da instituição seja feita de muitos outros momentos como este, não foi fácil segurar a emoção quando, às 18h38, o primeiro caminhão estacionou na porta da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Nossa Senhora de Fátima trazendo o acelerador linear, equipamento que aumenta as chances de cura nos pacientes em tratamento do câncer.

Pesando quase dez toneladas, o “coração” da nova unidade de radioterapia e quimioterapia da OSID chegou a Salvador de navio. Levou 22 dias para cruzar o Oceano Atlântico, desde que deixou o Reino Unido e, após desembarcar, no porto da capital baiana, foi transportado em duas cargas destinadas a seu novo endereço, na Rua Luís Tarquínio. Para chegar à casa da Mãe dos Pobres mobilizou uma operação complexa, que durou cerca de quatro horas, envolveu diferentes etapas e muitos colaboradores.

Totalmente planejado, o processo de recepção do equipamento foi acompanhado de perto pelo líder da Engenharia Clínica/Transportes, João Salomão, que contou com o apoio da engenheira Fernanda Freitas e mais oito colaboradores das Obras, entre mecânicos e seguranças. Todos tinham tarefas bem definidas durante a meticulosa manobra que, além dos oito funcionários da Transportadora Mopri, especializada neste tipo de carga, envolveu um representante da Elekta – Precise, fabricante do acelerador linear, que veio da Inglaterra especialmente para montar o aparelho e orientar no seu transporte e desembarque.

Com o mesmo critério, nos próximos 60 dias a OSID acompanhará o sistemático processo de montagem e instalação do equipamento, que ainda inclui etapas de autenticação, pelo Conselho Nacional de Energia Nuclear, e treinamento da equipe de operadores. A expectativa é que em maio a nova unidade entre em operação. “Estamos movendo todos os esforços neste sentido”, diz Salomão, sem esconder a “felicidade” pela nova etapa que se inicia com esta aquisição: “O equipamento significa que vamos poder salvar mais vidas, ao dar continuidade com mais primor ao tratamento do câncer nas Obras. Por isso, vejo a unidade de radioterapia como um marco na OSID nas duas últimas décadas”.

Mais saúde – O acelerador linear é um aparelho utilizado no serviço de radioterapia e sua função é emitir a radiação utilizada em diversos tratamentos. Não por acaso, o novo equipamento está sendo comparado ao “coração” da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Nossa Senhora de Fátima. A construção do complexo, que tem mais de 1.700 metros quadrados de área construída, contou com recursos dos governos federal e estadual e doações. Com 10 consultórios, 18 leitos e modernos aparelhos, o complexo vai oferecer uma estrutura adequada para tratamentos gratuitos de quimioterapia e radioterapia para cerca de 1 mil pacientes por mês, o que deverá contribuir para reduzir significativamente a fila de espera na Bahia.