Notícias

Antes de completar a idade limite, doadora volta à UCT/OSID para mais um gesto de amor

Antes de completar a idade limite, doadora volta à UCT/OSID para mais um gesto de amor

 

Doadora de sangue há quase duas décadas e consciente de que um dos requisitos para doação é a observação da idade máxima de 69 anos, a aposentada Edésia Ribeiro dos Santos, que em agosto irá fazer seu 70º aniversário, quis oferecer um derradeiro gesto de amor aos pacientes das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID). Edésia colocou sua máscara e saiu de casa, em São Caetano, com destino à Unidade de Coleta e Transfusão UCT/OSID, na Avenida Bonfim. Fez questão de fazer a última doação no banco de sangue da instituição fundada por Santa Dulce dos Pobres, onde mantém uma rotina de três coletas anuais, desde 2009.

Como as demais, sua coleta ocorreu num ambiente de segurança, atendendo às orientações da Organização Mundial de Saúde, com o atendimento realizado por profissionais paramentados e a observação do distanciamento entre os candidatos à doação. “Tudo muito organizado e tranquilo”, disse a aposentada sobre sua experiência de doação em plena pandemia: “Todo mundo usando máscara. Os funcionários dão álcool gel quando chegamos e saímos e, além disso, tem pias para a lavagem das mãos”, relatou.

Apesar de acontecer em um contexto especial, com cuidados de segurança redobrados, a última doação de dona Edésia na UCT/OSID ficará marcada para ela como o momento em que selou as boas relações cultivadas ao longo dos últimos 11 anos, entre pessoas que se mobilizam para o bem de outras. “Me sinto entre amigos e sou sempre muito bem recebida, com carinho e com todos os cuidados”, disse. Para ela, que considera “importante ajudar os semelhantes”, a doação de sangue é uma forma de “servir ao próximo”: “Aprendi que uma bolsa coletada pode salvar quatro vidas. Então, me sinto realizada”.

Para as Obras Sociais, dona Edésia será sempre lembrada com afeição, não só pelos laços construídos mas pela consciência que tem acerca do gesto repetido 26 vezes no banco de sangue da instituição. “Ela é muito querida e, para nós, é muito gratificante fidelizar um doador, saber que conseguimos transmitir essa compreensão do ato de doar sangue”, disse Marília Sentges, líder da Unidade de Coleta.

A UCT/OSID, um dos principais fornecedores de sangue da Hemorrede da Bahia, funciona de segunda a sexta-feira, das 7h10 às 11h30 e das 13h às 16h, nas Obras Sociais (Av. Dendezeiros do Bonfim, 161). Os doadores que optarem pela coleta com hora marcada podem agendar pelo telefone: (71) 3310-1224.