Notícias

Banco de sangue da OSID reabre com opção de coleta agendada

Banco de sangue da OSID reabre com opção de coleta agendada

Unidade de Coleta e Transfusão (UCT), das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), um dos principais fornecedores de sangue da Hemorrede do estado, voltou a funcionar nesta quarta-feira (3), depois de passar por um processo de desinfecção que envolveu o complexo de saúde da instituição, atendendo assim as medidas de combate ao novo Coronavírus. Considerado um serviço essencial, o banco de sangue da OSID reabre oferecendo aos doadores a opção de agendamento da coleta, em um ambiente igualmente seguro para a doação.

 

A UCT retorna às atividades seguindo as normas de distanciamento social orientadas pela Organização Mundial da Saúde, além de adotar outras medidas de segurança, como a admissão de apenas dois doadores no local onde ocorrerá a coleta e uma sala de espera adaptada em espaço aberto, com respeito ao distanciamento entre os candidatos à doação. Da mesma forma, os profissionais seguem devidamente paramentados, com  todos os equipamentos de proteção individual necessários. Vale ressaltar ainda que os doadores, ao saírem de suas casas, deverão observar o uso da máscara. O serviço volta a funcionar nos mesmos horários: de segunda a sexta-feira, das 7h10 às 11h30 e das 13h às 16h, nas Obras Sociais (Av. Dendezeiros do Bonfim, 161). Os doadores que optarem pela coleta com hora marcada podem agendar pelo telefone: (71) 3310-1224.

 

De acordo com Marília Sentges, líder da UCT, os critérios especiais da unidade para a coleta de sangue no contexto inédito da pandemia reveem, inclusive, a idade requerida aos doadores: “Numa situação normal, um dos requisitos é que o doador tenha entre 16 e 69 anos. Porém, considerando que os menores de 18 anos precisam comparecer com acompanhante e que os candidatos a partir de 60 anos pertencem ao grupo de risco para a Covid-19, recomendamos o atendimento de doadores apenas de 18 a 59 anos”.

 

Ações de segurança como essas são necessárias para o retorno dos serviços de hemoterapia, uma vez que a pandemia afetou drasticamente o fluxo de doação de sangue. O resultado disso são “estoques em nível crítico em toda a Hemorrede”, diz Sentges. “Na OSID, estamos com um volume abaixo do nível mínimo, dependendo totalmente do estoque da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba)”, relata, observando que os baixos volumes impactam em ações essenciais, como a realização de cirurgias e atendimentos clínicos.

 

Ela compara o cenário do momento com períodos de normalidade, quando o banco de sangue da OSID costuma destinar sua coleta aos pacientes internados no Hospital Santo Antônio (HSA), encaminhando o volume excedente ao Hemoba, a fim de que seja distribuído para unidades de saúde da capital e interior.

 

Campanha – Trabalhando para reverter o quadro de queda no volume coletado, a UCT/OSID volta às suas atividades retomando a campanha “Santo de casa também faz milagre”, cujo objetivo é continuar mobilizando também os próprios colaboradores da instituição para doação de sangue. Aos doadores que mesmo em plena pandemia continuam se esforçando para ajudar os que dependem desse gesto solidário, Marília deixa a mensagem de estímulo e cuidado expressa no slogan da campanha de entidades que vem estimulando a doação em todo o país: “Saia de casa só se for para fazer o bem!”.

 

Requisitos básicos para doação

 

  • Ter entre 16 e 69 anos e gozar de boa saúde (em virtude da pandemia, a UCT recomenda que nesse período compareçam apenas doadores entre 18 e 59 anos);
  • Apresentar documento oficial original, em bom estado e com foto atualizada (cópia somente se autenticada e legível);
  • Doador menor de idade, entre 16 e 17 anos, pode doar acompanhado do responsável legal;
  • O candidato à doação não pode estar gripado ou com qualquer outra doença aguda. Caso esteja em uso de alguma medicação, apresentar o nome de todas para avaliação;
  • Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 24 horas;
  • Não ter ingerido alimentos gordurosos;
  • As doações podem ser direcionadas a um paciente (doação de reposição) ou para ajudar a unidade (doação voluntária).