Notícias

Centro de Pesquisa Clínica da OSID inaugura nova estrutura na unidade Patamares

Centro de Pesquisa Clínica da OSID inaugura nova estrutura na unidade Patamares

Foram inauguradas hoje (23), na unidade Patamares das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), as novas instalações do Centro de Pesquisa Clínica (CPEC), núcleo responsável pela pesquisa na área da Saúde na instituição. Desde que foi criado, em 1999, o CPEC passou a inserir a OSID entre as instituições de referência científica no país, reconhecimento obtido pela qualidade de projetos como os estudos científicos da vacina da Pfizer contra a Covid-19, realizados no Brasil sob sua coordenação. Com a nova estrutura, o CPEC ganha um espaço ainda mais adequado à pesquisa, facilitando a implementação de novos projetos para a promoção da saúde e a inclusão de um número maior de participantes nos estudos científicos.

A cerimônia de inauguração contou com a presença do prefeito de Salvador, Bruno Reis; da superintendente das Obras Sociais, Maria Rita Pontes; do médico infectologista e pesquisador Edson Moreira, líder do CPEC; do Assessor de Ensino e Pesquisa da OSID, Dr. Sandro Barral; e do vice-diretor de pesquisa do Instituto Gonçalo Moniz, Fiocruz-Bahia, Ricardo Riccio. Também estavam presentes o doador do prédio de Patamares e sua família, além de conselheiros e profissionais das Obras Sociais.

A instalação do Centro de Pesquisa Clínica da OSID em um novo espaço ocorre após 23 anos de dedicação de seus profissionais e graças à doação de parceiros que se uniram em prol deste nobre objetivo. A nova estrutura irá ocupar uma área de 587 m² e passa a funcionar no edifício doado em 2020, onde já estão abrigados outros núcleos da OSID. A adequação contou com recursos oriundos da própria pesquisa realizada pelo CPEC, além da contribuição de parceiros, como a Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB), que doou parte dos equipamentos; e da Fundação Melinda Gates, que contribuiu com ideias de planejamento já padronizados de centros de pesquisas internacionais.

“Estamos inaugurando um espaço que nos capacita a promover mais avanços na ciência. Mais do que fazer pesquisa, nós queremos promover e alcançar avanços que possam mudar a vida das pessoas, trazer mais saúde e a prevenção de doenças. Pois entendemos que a pesquisa é um meio, e a finalidade é trazer melhorias para as pessoas”, diz o pesquisador Edson Moreira, que lidera uma equipe multiprofissional de 37 pessoas. Reconhecendo a entrega desses profissionais, Maria Rita destacou a contribuição do CPEC à missão das Obras Sociais de amar e servir ao próximo e agradeceu “o carinho, dedicação, empenho, abnegação e amor diário ofertados a milhares de pessoas. Que a vida continue a prevalecer neste novo espaço que inauguramos”, disse durante o evento de inauguração.

O prefeito, Bruno Reis, enfatizou a importância de Salvador dispor de um centro de pesquisa com tantas qualificações: “Quando iríamos imaginar que uma obra social, que vive de atendimento gratuito, teria capacidade de ter um centro como este? Então, vem a resposta, Deus e a nossa Santa Dulce estão nos abençoando para fazer essas coisas acontecerem. Tenho certeza de que aqui serão produzidas mais soluções para problemas que a humanidade vai enfrentar. Ficamos felizes em saber que em nossa cidade contamos com um centro de pesquisa que é referência e que não deixa a desejar a nenhum outro no mundo. Isso é motivo de orgulho para todos nós”.

Estrutura – A nova estrutura do CPEC dispõe de seis consultórios; laboratório de coleta; área para estoque e aplicação de vacinas; além de todos os ambientes necessários para garantir os protocolos no desenvolvimento das pesquisas. Elaborado pelo Núcleo de Arquitetura da OSID, núcleo ligado à gestão de Infraestrutura, o projeto arquitetônico do CPEC conta ainda com um auditório com capacidade para acomodar 40 pessoas e servirá para a orientação dos procedimentos para os voluntários que participarão das pesquisas.

De acordo com Dr. Edson Moreira, na unidade Patamares serão desenvolvidos apenas os novos projetos do CPEC, a exemplo da vacina de Chikungunya e da vacina de dose de reforço da Covid-19, sendo esta em parceria com o Instituto Butantã. “Haverá uma fase de transição até que estejamos totalmente atuantes em Patamares. Os projetos que já estão em andamento, terão que ser concluídos no CPEC instalado na sede da OSID, pois têm que seguir as exigências regulatórias”. Entre estes, o pesquisador cita o projeto da vacina da Covid-19, que acabou se desdobrando em mais três; e o da vacina da Dengue, que terá uma extensão de mais dois anos, na sede da OSID, “respeitando os usuários que em sua grande maioria são moradores do entorno”.

 

Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível. Ao continuar a navegar no site, você concorda com esse uso. Para mais informações sobre como usamos cookies, veja nosso Aviso de Privacidade.